Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz

A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz foi criada em 1996, numa iniciativa da Secretaria Executiva de Cultura (Secult). Os maestros Andi Pereira, Barry Ford, Mateus Araujo e Enaldo Oliveira já foram titulares da Orquestra que atualmente, é conduzida pelo maestro Miguel Campos Neto.

Estiveram à frente da OSTP, como convidados, os maestros Patrick Shelley, Roberto Duarte, João Carlos Martins, Luís Fernando Malheiro, Silvio Viegas, Abel Rocha, Flávio Florence, Carlos Moreno, Gian Luigi Zampieri, Alessandro Borgomanero e Marcelo de Jesus.

Como solistas atuaram, entre outros, Arnaldo Cohen, Arthur Moreira Lima, Miguel Proença, Emmanuele Baldini, Adriane Queiroz, Carmen Monarcha, Antonio Del Claro e Atalla Ayan.

Em 1999, gravou o CD “Arthur Moreira Lima interpreta Waldemar Henrique”, destacando três compositores locais: Serguei Firsanov, Tynnôko Costa e Luiz Pardal.

Integrada à vida cultural de Belém, a OSTP realiza concertos mensais no Theatro da Paz, mantém um programa de concertos didáticos e uma série de câmara, além de participar do Festival Internacional de Música da Fundação Carlos Gomes e do Festival de Ópera do Theatro da Paz, tendo executado entre outros títulos, Macbeth, Rigoletto e La Traviata, de Verdi; Pagliacci, de Leoncavallo; A Flauta Mágica, de Mozart; Carmen, de Bizet; Romeu e Julieta, de Gounod; O Barbeiro de Sevilha, de Rossini; Madamma Butterfly, Gianni Schicchi, La Bohème e Tosca, de Puccini; Il Guarany, de Carlos Gomes; Cavalleria Rusticana, de Mascagni e, em primeira audição, depois de suas estreias há mais de cem anos, as óperas Bug Jargal e Yara, do paraense Gama Malcher.

Em 2005, iniciou o processo de descentralização de suas atividades, por meio do projeto “Pará Sinfônico – A Orquestra nos Municípios”, pelo qual vem se apresentando em várias cidades do interior do Estado. Em 2008, gravou o seu primeiro DVD, registro de Concerto sob a regência de Mateus Araújo.

Estão ainda entre suas grandes performances, o oratório Magnificat, de J. S. Bach. a 5ª Sinfonia de Shostakovich, além de A Floresta do Amazonas e Choros nº 10, de Villa Lobos e, em 2006, a realização inédita em Belém do ciclo integral das nove sinfonias de Beethoven. Em 2012, a OSTP aborda novo capítulo da obra deste mestre alemão executando, entre outras obras sinfônicas, os cinco Concertos para piano, tendo como solistas grandes nomes do piano paraense de várias gerações.

Também em 2012, a OSTP destacou-se na imprensa nacional, recebendo elogios da crítica especializada, pela execução da ópera Salomé, de R.Strauss.

Em 2013, a crítica nacional volta a reconhecer a trajetória ascendente da Orquestra, com elogios por sua performance nas óperas Il Trovatore, regida por Silvio Viegas, e Navio Fantasma, sob a direção de seu maestro titular Miguel Campos Neto.

João Augusto O´ de Almeida
Gerência de Música - SECULT-PA
Telefone: (91) 4009-8766